História alternativa Wiki
Advertisement
‹ 2010 • Flag of Brazil.svg • 2019
Eleições Gerais do Brasil em 2015
2 de maio de 2015
Participação
  
70.5 % 8px|link= 6.8 %

Resultados
Partido Social Democrata Logo.png
PSD – Teresa Marie
Votos 61 676 122  
Assentos obtidos 223Decrease2.png  
  
34.45 %
Tucano PSDB.png
PSDB – Fernando Merson
Votos 51 724 172  
Assentos obtidos 158 Increase2.png  
  
28.89 %
Brazilian Labour Party.png
PTB – Carlota Chancers
Votos 40 574 225  
Assentos obtidos 100 Increase2.png  
  
22.67 %
Partido Conservador (Colômbia).png
PC – Eduardo Kalfante
Votos 11 542 116  
Assentos obtidos 18 Decrease2.png  
  
6.45 %
PRB Logo.png
PRB – Leonardo Crive
Votos 9 332 117  
Assentos obtidos 11 Decrease2.png  
  
5.21 %

As eleições gerais do Brasil em 2015 foi uma eleição parlamentar realizada em 2 de maio de 2015, serviram com uma renovação do Parlamento Nacional. A Primeira-Ministra Teresa Marie conseguiu sua reeleição para o segundo mandato, onde fez a coalizão entre PSD-PTB.

O Partido Social Democrata de Teresa Marie conseguiram a maioria com a coalização PSD-PTB, a coalizão acabou mantendo firme na eleição, durando até 2018. A oposição de Fernando Merson acabou ganhando uma pequena vantagem nos assentos no parlamento, ganhando 20. Já os assentos do governo de Marie, acabou perdendo uma outra vantagem pequena nos assentos do partido.

Pela segunda vez na história nas eleições do Brasil, uma primeira-ministra é reeleita para o seu segundo mandato, sendo a primeira em 1984 da reeleição de Catarina Walker.

Contexto

Primeiro Mandato de Teresa Marie (2010-2015)

Com a vitória das eleições de 2010, Teresa Marie tomou posse 4 dias depois como a segunda primeira-ministra do Brasil, eleita com 65,5 milhões de votos.

O Mandato da Primeira-Ministra foi marcado pela força do Parlamento entre o PSD e PTB, onde ela teve uma grande facilidade nas negociações no parlamento, Pela primeira vez em um governo do PSD, o PSDB era um partido de oposição, nunca ocorrido desde 1989.

Recuperação da Crise de 2007

Com a crise de 2007 ainda presente na economia brasileira, Teresa Marie assinou ao Banco do Brasil, um pacote de estímulos econômicos no valor de $800 bilhões, destinado a ajudar a recuperação da economia diante da crise. A legislação inclui um aumento dos gastos federais para a saúde, infra-estrutura, educação e vários benefícios fiscais e incentivos.

O Ministro da Economia, Micháel Higor, tomou novas medidas para acabar a crise financeira, incluindo a introdução do Programa de Investimentos público-privado, que disponibiliza comprar até 2 trilhões de dólares em ativos imobiliários depreciados.

Com a crise desaparecendo mundialmente e pelo próprio país, em 19 de março de 2011, Marie anuncia o fim da Crise pelo país.

Olimpíadas no Rio em 2014

Em 2006, o Brasil foi sorteado para sediar as Olimpíadas de 2014, com isso, o Brasil tornou-se o centro dos esportes. Em 2011, acontece uma crise de Zica que espalhou pela América Latina toda. A União Latina e Marie decidiram rapidamente impedir o avanço da doença que já era grande na época para não causar problemas futuros no ano da Olímpiadas.

Nas olímpiadas, Marie participou da abertura e do encerramento dos jogos, além de ter aparecido nas Para-Olímpiadas 20 dias depois na abertura e no encerramento em 19 de setembro de 2014.

Resultados

Com uma popularidade estável, Teresa Marie teve um ótimo desempenho de prima-ministra boa. Pelas pesquisas, Tersa Marie era favorita em quase todas. O Candidato Tucano Fernando Merson era impopular, dizia que Marie era 100% populista e manipuladora.

No resultado da eleição, Teresa Marie acabou obtendo mais de 60 milhões de votos válidos. Enquanto a oposição de Merson obteve 9 milhões a menos que a de Marie. Em comparação ao 2010, Marie teve um leve queda de 2 milhões de eleitores. A Coalizão PSD-PTB ainda manteve com as negociações entre Marie e Chancers.

223 158 100 18 11 3
Marie Merson Chancers Kalfante Crive Melos
Partidos Candidato Votos % Assentos
Partido Social Democrata Teresa Marie 61,676,122
34,45 / 100
223 / 513
Partido Trabalhista Brasileiro Carlota Chancers 40,574,225
22,67 / 100
100 / 513
Coalizão PSD-PTB 102,250,347 57,51% 324
Partido Social Democrata Brasileiro Fernando Merson 51,724,172
28,89 / 100
158 / 513
Partido Conservador Eduardo Kalfante 11,542,116
6,45 / 100
18 / 513
Partido Republicano Brasileiro Leonardo Crive 9,332,117
5,21 / 100
11 / 513
Partido Comunista Brasileiro Carlos Melos 2,967,211
1,66 / 100
2 / 513
Partido de Independência Brasileiro Carlos Melos 1,119,447
0,67 / 100
1 / 513
Partido(s) Líderes 179,015,420 100% 513

Pelo parlamento, mesmo com uma queda de 15 assentos, o PSD continuou com uma grande vantagem de assentos pelo parlamento, obtendo 43% do total de assentos pelo Parlamento Nacional. A Oposição de Merson ganhou apenas 6 cadeiras, quase mantendo o ritmo na eleição passada.

Coalizão PSD-PTB

Desde 2010, Marie manteve a coalizão entre o PSD e o PTB forte para o fortalecimento na aliança para leis e entre outros. 5 dias após as eleições, Marie conseguiu algumas propostas feitas pela líder do PTB que tinham feitos antes do resultado das eleições. O Parlamentar Augustos Yuri acreditava que o PSD poderia fazer aliança com o PSDB e os conservadores, Marie acabou recusando a proposta.

Em 8 de maio de 2015, Chancers e Marie mantiveram a coalizão entre o PSD e PTB, ganhando a eleição com a maioria dos votos válidos, obtendo 50% do voto total entre os dois partidos.

Advertisement