História alternativa Wiki
Advertisement

História alternativa (também chamada de Ucronia) é um gênero fictício que imagina o que aconteceria se algum fato histórico tivesse um desfecho completamente diferente do que teve na história real. Muitas vezes começa alterando um único evento histórico, chamado de ponto de divergência ou POD, e traçando como isso pode produzir grandes mudanças no mundo, divergindo-o de Nossa Linha do Tempo (NLT) e criando um mundo novo, alternativo e paralelo.

Físicos e filósofos teorizaram a existência de Linhas do Tempo Alternativas e mundos paralelos no final do século XX. Eles sugeriram que o tempo tem "ramificações" como resultado de vários pontos de divergência no passado. Alguns especulam que todos esses ramos ocorrem simultaneamente, talvez em outros universos. As mudanças representariam "histórias alternativas", diferindo em vários graus das nossas.

Essas teorias ajudaram a desenvolver o gênero literário. Livros sobre histórias alternativas experimentaram um crescimento nos anos 80 e 90 com escritores como Harry Turtledove e S.M. Stirling. Nos anos 90 e 2000 vieram muitos videogames com o tema. O filme de 2015 da Amazon, The Man in the High Castle, baseado no mesmo romance de 1962 de Philip K. Dick, trouxe o gênero para um público ainda mais amplo. Na Internet, as histórias alternativas começaram a aparecer em meados da década de 1990, primeiro em newsgroups, depois em páginas individuais da Web e, em seguida, em fóruns e wikis como essa. Mídias sociais como Reddit e DeviantArt agora têm comunidades prósperas, muitas vezes focadas em recursos visuais, mas também com extensos escritos.

Para uma descrição mais detalhada sobre histórias alternativas, considere ler o artigo na Wikipédia.

Elementos

Em histórias alternativas, o autor deverá fazer uma escolha em mudar algo no passado. De acordo com Steven H. Silver[1], histórias alternativas requerem três pontos:

  1. A história deve ter um ponto de divergência com a história de nosso mundo anterior à época em que foi escrita.
  2. A mudança deverá alterar a história que conhecemos.
  3. A obra examina as consequências dessa mudança.

Alguns gêneros de ficção podem ser confundidos com história alternativa. Histórias futurísticas e ficção científica, que se passam no futuro do autor, mas também são nosso passado, como a obra de Arthur C. Clarke, 2001: Uma Odisséia no Espaço, não é história alternativa: o autor não mudou intencionalmente o passado. História secreta - uma explicação da história real usando eventos anteriores inventados ou desconhecidos também não é o mesmo que história alternativa.[2]

Histórias alternativas não necessariamente precisam que:

  • Esteja no passado. (Atente-se que nesta wiki, exigimos que a linha do tempo pare no presente do escritor.)
  • Indique o ponto exato de divergência.
  • Tenha apenas um único ponto de divergência.
  • Lide com grandes eventos que mudam o mundo.
  • Inclua pessoas famosas.
  • Ser escrito em qualquer estilo particular.

Referências