História alternativa Wiki
Advertisement

Pré-colonização Russa

PT-BR: https://pt.wikipedia.org/wiki/História_do_Djibouti EN: https://en.wikipedia.org/wiki/History_of_Djibouti

https://en.wikipedia.org/wiki/Sagallo

Domínio Russo

Conquista de Sagallo

Em 1883, Nikolay Ivanovitch Achinov (um aventureiro e burguês de Penza b. 1856) visitou a Abissínia (Império Etíope) para estabelecer laços clericais e políticos entre os dois países. Após seu retorno à Rússia, Achinov expressou seus planos para uma expedição de 1888 ao Golfo de Tadjoura para estabelecer um assentamento, enquanto afirmava ser um cossaco livre. Achinov assegurou aos participantes que o sultão de Tadjoura, Mohammed Loitah, havia alugado permanentemente terras para ele na região. Com suporte da Corte Imperial Russa em 10 de dezembro de 1888, Achinov junto com 165 cossacos Terek embarcou em Kornilov, um navio indo de Odessa para Alexandria. A expedição então embarcou no navio russo Lazarev que os trouxe para Port Said. Lá, Achinov alugou o navio austríaco Amfitrida, antes da chegada de Achinov a Sagallo ele encontrou com Antonio Baldissera em Asmara na colônia Italiana da Eritreia no dia 1 de janeiro de 1889 para estabelecer relações, Achinov continua sua viajem até que entrou no Golfo de Tadjoura em 6 de janeiro de 1889. A expedição foi recebida por um grupo de sacerdotes etíopes. Achinov lutou para manter os cossacos sob seu controle, mas alguns invadiram o Danakil, roubando uma vaca e uma ovelha depois de expulsar os membros da tribo local com tiros de rifle. O sultão aceitou 60 francos de Achinov como reparação. O Ministério das Relações Exteriores francês exigiu uma explicação das ações de Achinov. Em 14 de janeiro, o forte egípcio abandonado de Sagallo foi escolhido como a nova base da expedição. Achinov nomeou o forte de Nova Moscou. Uma tenda foi erguida para servir como igreja de São Nicolau e uma bandeira da expedição foi hasteada. Rumores sobre o tamanho formidável da expedição rapidamente se espalharam pela imprensa. Mais tarde, vários colonos fugiram para Obock, informando os franceses do paradeiro do assentamento. Em 5 de fevereiro, os cossacos notaram um cruzador francês e três canhoneiras francesas. Um ultimato foi emitido, mas Achinov o entendeu mal e não se rendeu. A barragem de artilharia que se seguiu foi uma completa surpresa para os russos, deixando 6 colonos mortos e 22 feridos.

Após o incidente de 5 de fevereiro, Achinov vendo a possível derrota se continuassem em Nova Moscou (Sagallo) fugiu com seus cossacos para a Eritreia Italiana onde tinha boas relações com o governador colonial, chegando em 8 de Março, onde em 1 de Abril com 1.000 russos que em sua maioria que vieram de reforços, 500 italianos, 300 locais e 200 mercenários totalizando 2.000 tropas atacam a colônia francesa de Obock. Em 20 de Abril Tadjoura e Obock é completamente dominado e mais tarde em 14 de Maio a porção oriental da Somalilândia Francesa é liberada pelas forças de Achinov.

Crise de Sagallo

Após a invasão, a França considera a invasão arbitraria considerando uma violação a Conferência de Berlim e demanda um julgamento contra a Rússia pela comunidade internacional. No dia 7 de Outubro diplomatas das maiores potências se reúnem em Genebra e decidem o caso que ficou conhecido como "Crise de Sagallo", o resultado foi uma falha na proposta de um consenso por parte das potências, o que levou a criação da segunda conferencia.

A segunda conferencia foi tão desastrosa quanto a primeira, desanimando os franceses e levando a desistência do próprio, mas jurando uma vingança contra a Rússia.

Formação da colônia e Administração Achinov

Depois da guerra com a França e da crise diplomática causada após a ocupação, Achinov se preocupou em manter sua estabilidade. Com isso buscou desenvolver a economia, as forças de segurança e atraiu a imigração para a colônia, durante sua administração, foi expresso um aumento na qualidade de vida na colônia, principalmente nas cidades.

Em 1895 a Rússia apoia a Etiópia na Primeira Guerra Ítalo-Etíope, depois com o decorrer da guerra Nova Moscou entra em conflito direto ocorrendo algumas escaramuças na fronteira com a Itália.

Governo de Mashkov

Com a morte do antigo sucessor em 1902, o Czar Nicolau II prepara para colocar seus planos de reduzir a autonomia da colônia em prática mas a França usa a instabilidade causada pela morte e prepara um ataque para reconquistar a região perdida e em 13 de Outubro 2 navios médios e 8 navios menores chegam a colônia e bloqueiam a passagem de navios no golfo de Tadjourisque. Enquanto isso a frota colonial ataca os franceses e por muito pouco o navio Kapitan Saken afunda. Com essa noticia o Czar envia mais navios de guerra para Nova Moscou e esse longo conflito que foi a ser chamado de "Tentativa de Reconquista de Sagallo" terminasse em 1906. Após o fim da guerra o Czar não consegue diminuir a autonomia colonial devido as tensões de dentro da Rússia, o que fez o governo de Mashkov ser de relativa estabilidade e recebendo um grande fluxo imigratório para Sagallo, por causa da instabilidade no Império, mas em decorrência da Primeira Guerra Mundial, Nova Moscou é atacada pelo Reino Unido e pela Itália em duas frontes fazendo Sagallo se render.

Ocupação Ítalo-Britânica

Em Agosto de 1915 com a conquista Mashkov é forçado a assinar um tratado com representantes Britânicos e Italianos cedendo a colônia de Nova Moscou. A parte oriental (respectivamente o Oblast de Achinovisque e Ali Sabieh) ficou sob controle Britanico enquanto a parte ocidental (Mashkovisque e Tadjourisque) ficam sob controle Italiano.

Advertisement