História alternativa Wiki
Advertisement
Koen Sleurs
Linha do tempo: Universo 26
Koen Sleurs (Universo 26)
Sleurs em 1982

Primeiro-Ministro da Bélgica
1 de junho de 1974 - 30 de julho de 1982
Monarca Alberto V
Antecessor Didier Watson
Sucessor Hans Dier Muller

18 de junho de 1986 - 1 de junho de 1990
Monarca Alberto V (1982-1987)
Leopoldo II (1987-1990)
Antecessor Hans Dier Muller
Sucessor Arthur Loies

Líder da Oposição
7 de agosto de 1966 - 1 de junho de 1974
Antecessor Jean Götzer
Sucessor Didier Watson

30 de junho de 1982 - 18 de junho de 1986
Antecessor Benajmin Gouton
Sucessor Jean Götzer

14 de agosto de 1966 - 30 de fevereiro de 1990
Antecessor Noah Gutton
Sucessor Arthur Loies

Membro do Parlamento Federal
por Gante
4 de junho de 1962 - 30 de dezembro de 1998

Informação pessoal
Nascimento 6 de fevereiro de 1925
Gante, Flag of Belgium (civil) Bélgica
Falecimento 30 de janeiro de 1999 (73 anos)
Bruxelas, Flag of Belgium (civil) Bélgica
Nacionalidade Belga
Partido Comunista (1940-1999)
Religião Cristianismo
  • Católico
Cônjuge Magdanela Sleurs (1948-1999)
Filhos 1

Koen Sleurs (Gante, 6 de fevereiro de 1925 - Bruxelas, 30 de janeiro de 1999) foi um escritor e político comunista que serviu como Primeiro-Ministro da Bélgica entre 1974 a 1983, e 1986 a 1990. Membro do PCB, Sleurs foi o primeiro líder comunista a ser eleito em uma democracia liberal e é descrito por muitos como um Eurocomunista.

Sleurs começou a se envolver em político aos 20 anos, participando de movimentos sindicatos pela sua cidade. Durante a invasão francesa, fugiu para Britânia, ficando por lá até a derrota francesa na Grande Guerra. Em 1962, foi eleito parlamentar pelo distrito de Gante, sendo um dos 5 parlamentares comunistas a serem eleitos naquela eleição. Ganhou mais espaço pelo partido com a saída do líder Gutton, Sleurs por votos de confiança foi escolhido como líder do partido em 1966. Sua liderança foi importante para o fortalecimento do partido, resultando no triunfo comunista na Bélgica nas eleições de 1974, com seu partido recebendo quase a maioria absoluta.

Como primeiro líder breinista e comunista eleito em uma democracia liberal, Sleurs começou a ser pressionado tanto pela oposição quanto pelos países vizinhos ocidentais. Fez da Bélgica sair da OTA e declarar ''neutralidade'' durante a Guerra Fria, algo que congelou as relações da Bélgica com o Brasil. Entrou em desentendimentos com o Rei Alberto V sobre a discussão da Independência do Congo, algo bastante criticado pela oposição conservadora e do próprio rei que boicotaram essa decisão, no final, foi assinado um estatuto que dava mais autonomia ao Congo, transformando em um domínio belga, uma derrota política aos Comunistas e ao Sleurs.

Pela questão interna, Sleurs aumentou os gastos em programas sociais, fortaleceu os direitos trabalhistas na Bélgica e expandiu projetos de infraestrutura. Suas políticas foram muito vistas pela oposição como ''populistas'', enquanto a maioria da população super apoiou, fazendo dele como o líder mais popular da história moderna da Bélgica. Apesar de sua popularidade, Seu mandato como primeiro-ministro encerrou em 1982 após uma coalizão de 4 partidos se uniram contra ele, terminando seu primeiro mandato de 8 anos. Voltou com a se unido com os sociais-democratas, ficando 4 anos e implementando medidas mais moderadas em relação ao seu primeiro mandato. Terminou seu mandato escolhendo Arthur Loies como seu sucessor em 1990.

Advertisement