História alternativa Wiki
Advertisement

Selo da ordem mond'endyeté.jpg

A Ordem Religiosa Mond'endyeté é instituição religiosa responsável por parte do Movimento Mond'endyeté.

Ela foi fundada por Ararê-Piatã.

História

Piatâ, com o apelido de Ararê, nasceu no meio tupi, com ele sendo órfão e perdendo mulher e filhos, e depois o pajé tradicional que o criou como filho. Ele abandona tudo sozinho com seu papagaio, sendo um pajé asceta por influencia dos mond'endyeté.

Ararê-Piatã se une à outra tribo futuramente, e é visto comum homem santo, com ele fundando o protótipo da ordem, com doutrinas opostas aos membros tradicionais de sua religião.

Ele morre por volta dos 70 anos, e é enterrado, sendo criado um mausoléu, santuário e memorial no local, sendo chamado de Arar'p'atauê.

Doutrina

Buscando resolver o problema do deísmo, eles tinham que seguir a CLAREIRA, que eram os ensinamentos e regras da Ordem.

A Clareira se baseia nisto:

• Obediência à Ordem e respeito à Hierarquia.

• Veneração dos Máyras (supostos seres que alcançaram a transcendência)

•Jasuka era o elemento primordial, que gerou de si (assim como o fogo gera fogo e luz) à Nhavanderuçu, que (assim como o homem na mulher) gerou Tupã. Este se auto dividiu e auto emanou para gerar os seres, e após o auto sacrifício transcendeu sua geradora. Deste modo Tupã se torna o deus supremo, e governa o Cosmos.

• Conceder ofertas à Ordem em Trabalho, Culto, Mantimentos, Materiais ou Bens.

• Dominar e entender o mundo ao seu redor como modo de reafirmar sua origem superior ao mundo.

• Realizar a Meditação Mond'endyeté (se baseava em meditar perante o altar do ser venerado, controlar sua mente em contemplá-lo e se tornar como ele, e entoar Rezas Específicas que servem de hinos, preces e mantras).

• Estudar as Crenças da Ordem para evoluir espiritualmente.

• Buscar aperfeiçoar a Moral e Ética (incluia evitar matar, permitido em casos extremos como para não passar fome, se defender e defender sua honra — este último permitia guerras), que inclui Vegetariansimo.

• Peregrinar à Arar'p'atauê, visto como local sagrado, para dar oferendas.

• Crença na ciclicidade universal e reencarnação.

• Realizar Penitências e Rituais de Purificação.

• Treinar mente para supostamente controlar Nhavanderuçu (energia cósmica).

• Crer na superioridade hierárquica Tupi no mundo sobrenatural (num tipo de proto-nacionalismo).

• Manter Equilibrio com Jasuka (seguir o curso natural da vida, com as relações amorosas sendo valorizadas e até sendo pouco rígidas, desde que fossem heterossexuais— Fora deste último ponto eram vistas como antinaturais e impuras ritualmente, sujeito à excomunhão).

• Não haviam pajés ascetas, com as leis dos pajés permitindo casamentos e sendo menos rígidas, com todos os homens podendo se tornar pajés caso crescessem na hierarquia.

• Somente homens podiam ser iniciados, e este complexo rito tinha a circuncisão como principal ato, podendo ser praticado após os 15 anos aproximadamente.

•Tudo ocorrido dentro da Ordem é aberto e conhecível aos olhos das pessoas, devendo ter uso somente Religioso e Moral, com outras áreas sendo pessoais.

• Mulheres, Crianças e Não-Iniciados podiam participar dos ritos e cerimônias relgiosas, mas estavam fora da hierarquia e eram limitados à Lei Moral.

Hierarquia

A hierarquia próxima do Episocpalismo, sendo assim:

• Grão Arara: Membro do Triunvirato que governa a Ordem (comparado ao papel de patriarca ou papa, porém sendo um grupo).

• Superior: Membro do Conselho Responsável pela Ordem (comparado aos cardeais).

• Ararcacique: Governador responsável por certa região (comparado ao arcebispo).

• Ararpajé: Responsável por uma região pequena, é o sacerdote dos Subordinados e serve de Professor e guardião dos ensinos da Ordem (comparado ao bispo).

• Subordinado: Membro de uma localidade, tinha o papel de sacerdorte, liderando os ritos locais (comparado ao padre).

• Iniciados: Membros da Ordem iniciados, homens maiores de 15 anos, tinham que seguir a Clareira (comparado a um membro batizado).

• Arara-Menor: Membros de uma facção associada, são monges ascetas e recebem o título de homem santo. Eles devem ser iniciados e virgens, se dedicando à Ordem e sendo vistos com os Grão-Araras como os únicos dignos de venerar diretamente à Tupã (comparado aos monges ou missionários). Passaram a ser reconhecidos futuramente como acessíveis ao povo e auxiliares temporários da comunidades.

Papel na sociedade Tupi pré-colombiana

Eles se desenvolveram bastante, com eles sendo intelectuais por terem estudos esotéricos e em artes marciais (somente a Luta da Arara), terem mosteiros, terem ainda mais hieróglifos e ideogramas para guardar informações, terem leis religiosas e cerimoniais, peregrinarem, e terem uma estrutura religiosa centralizada.

Isso lhes garantiu prosperidade como instituição e as tribos tendiam à evoluir tecnologicamente, com alguns se tornando vegetarianos, e muitos abandonando o canibalismo. (O que incentivou outros grupos a abandonar o canibalismo).

Assim os Membros se distinguiam dentre os indígenas tupis comuns, tendo modificado sua história com algumas tecnologias e desenvolvimento.

Advertisement