Partido Social Democracia Brasileiro (PSDB)
PSDB logo (President-Dukakis).png

Fundação

25 de junho de 1988

Presidente do Partido

Yeda Crusius (desde 2020)

Ideologia

Liberalismo Social
Conservadorismo Social

Número de filiados (2021)

18,592,193

Sede

São Paulo, São Paulo, Bandeira do brasil.jpg Brasil

Aspecto Político

Centro-Direita

Governadores

12 / 28

Prefeitos

2 002 / 5 568

Senadores

29 / 81

Deputados Federais

202 / 513

O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB ) é um partido político de centro-direita brasileiro. Surgiu da combinação de social-democracia, democracia cristã e liberalismo econômico e social. Foi fundada em 25 de junho de 1988 pelo ex-governador Mário Covas (na época, senador).

Seu símbolo é um tucano nas cores azul e amarelo: por isso, seus membros são eventualmente chamados de "tucanos", e raramente de "peessedebistas". Seu código eleitoral é 45.

Nas eleições de 2020, o partido conseguiu ganhar 2002 cidades e 14 capitais, sendo elas: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador e Recife.

História

Franco Montoro, FHC e Mario Covas em 1988

Com o colapso iminente da ditadura militar no início dos anos 1980, um grupo de intelectuais de esquerda se mobilizou para criar um partido de esquerda. Alguns deles tentaram trabalhar com o movimento sindical liderado por Luiz Inácio Lula da Silva , mas o grupo se dividiu por motivos ideológicos. Um grupo de socialistas democratas e trotskistas aderiu ao movimento operário e fundou o Partido dos Trabalhadores (PT), enquanto os social-democratas permaneceram no Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) e mais tarde criariam o Partido da Social Democracia Brasileira .

Grande parte dos primeiros membros do PSDB vieram do chamado "PMDB histórico", que foi e ainda é um partido muito grande e com muitos conflitos internos. Os fundadores do PSDB ficaram insatisfeitos com os resultados da Assembleia Nacional Constitucional e decidiram criar um partido que refletisse a necessidade de renovação política nacional. Alguns dos membros fundadores foram José Serra, Mário Covas, André Franco Montoro , Fernando Henrique Cardoso , Aécio Neves e Geraldo Alckmin.

O nome " PSDB " (então " Partido Social Democracia Brasileiro ") é sugerido pela primeira vez para um novo partido derivado do MUP em outubro de 1987, em uma reunião suprapartidária que reuniu MUP, PSB e outros de esquerda e centro políticos - esquerda, entre eles o deputado Paulo Ramos (PMDB-RJ) e Florestan Fernandes, ex-professor de FHC.

O PSDB é um dos maiores e mais importantes partidos políticos do Brasil. Seu programa oficial diz que suas políticas são social-democratas e frequentemente associadas ao movimento da Terceira Via, embora o partido também seja visto como influenciado pelo neoliberalismo.

Governo Sarney e as eleições de 1989

Fernando Henrique Cardoso e José Serra durante a Assembleia Constituinte

Os partidos de base do governo Sarney, PFL e PMDB, tentaram omitir os resultados reais do Plano Cruzado até as eleições de 1986, o que lhes deu grande sucesso diante dos efeitos de curto prazo que pareciam resolver a calamidade monetária. Porém, logo após as eleições, o clima de deterioração econômica e hiperinflação torna-se evidente para o eleitorado e a opinião pública se estrutura rapidamente em veemente descrédito pelos políticos tradicionais. No entanto, o MDB acabou concorrendo ao popular Itamar Franco para presidente, dificultando muito a vitória ou a permanência no segundo turno nas eleições.

O PSDB lançou Mário Covas e nenhum dos três consegue capitalizar muito sucesso político: o PFL e o PMDB por sua atuação no governo Sarney, e o PSDB diante do carisma populista de Fernando Collor de Mello.

Em 4º lugar na disputa, com 13,96% dos votos, o PSDB foi inicialmente descartado como partido promissor, ainda mais após a drástica redução da bancada de Tucana que tinha 60 deputados em primeiro lugar e passou para 40. Além disso, nas Eleições Gerais A partir de 1990. apesar de ter apoiado a candidatura do PTB a Brizola no segundo turno da maioria de 1989, o PSDB abordou o governo de Franco em seu programa econômico de privatização, modernização e abertura ao exterior, mas não integrou a base governamental .

Apesar de ter pedido nas eleições, o PSDB conseguiu vencer mais de 2 estados brasileiros nas eleições estaduais, sendo Ciro Gomes no Ceará e Mário Covas em São Paulo.

O PSDB no Governo Itamar Franco (1990-1999)

O Ministro FHC mostrando o Real.

Com a posse do Governo Itamar Franco, o PSDB faz parte da base governamental. Quando Itamar Franco assumiu a presidência da república, havia uma coalizão de unidade nacional no Congresso para apoiar o novo presidente: PMDB, PT, PFL e PSDB, os maiores partidos, acenaram com apoio. Posteriormente, o PT se retirou, sendo esse conflito o motivo da saída de Luiza Erundina do partido, por ter sido nomeada ministra. Itamar Franco acabou nomeando Fernando Henrique Cardoso (FHC) como ministro da Economia, o que formou uma grande e forte coalizão entre MDB e PSDB.

Com uma pequena inflação provocada pelo governo Sarney, o ministro Fernando Henrique acabou dando início ao Plano Real. O Plano Real, elaborado principalmente por Edmar Bacha, passou a ganhar feições claras com a aprovação pelo Congresso Nacional do "fundo social emergencial", que daria ao governo liberdade para dispor de 15% a 20% e recuperar o economia que já estava em crise. A grande faceta do plano do Real era a Unidade de Valor Real (URV), que funcionava como um índice monetário, convertendo os preços em uma nova unidade que substituiria a moeda então em vigor, o Cruzeiro Real, por uma nova moeda logo em seguida, o Real . Foi a senha para acostumar o povo a um mundo novo, antes que chegasse a moeda real e superar, depois de mais de vinte anos, a cultura inflacionária do brasileiro.

Eleição de 1994

Com o sucesso do Plano Real, o PSDB acabou ganhando popularidade e ganhando dinheiro, o que tornou FHC um possível candidato contra Franco nas eleições de 1994 . No entanto, Fernando decidiu permanecer no governo do Itamar.

Nas eleições de 1994 , o PSDB não teve muitas oposições e grandes candidatos às eleições contra o presidente Itamar Franco, já que o PSDB era aliado do MDB. O governador do Ceará, Tasso Jereissati, acabou concorrendo às eleições para representar o Partido. A seguir, em dias eleitorais, o Partido ficou meio dividido entre os partidários do governo Itamar Franco e os que eram contra o governo, a grande maioria era partidária, o que enfraqueceu a candidatura de Jereissati. O Candidato ficou em segundo lugar com 10 milhões de votos no primeiro turno, número de votos superior ao de Mário Covas. O Partido acabou voltando à relação entre o governo de Franco.

Crise política e divisão partidária

Após a posse do segundo mandato do presidente Itamar Franco, os casos de crise política começaram a crescer no país, causando a divisão de vários partidos. Como nas eleições de 1994, o PSDB estava dividido entre pró-governo e anti-governo.

O PSDB e o PMDB foram afetados por esta crise até que FHC assumiu a presidência do partido, melhorando e retirando o anti-governo, cerca de 10.500 militantes saíram em menos de 5 meses. Com o crescimento da economia do país, o PSDB começou a emergir da crise política.

Eleição de 1998 e o Governo FHC (1999 - 2007)

Fernando Henrique cardoso em 1999

Com grande popularidade devido ao Plano Real e à organização do Partido Fernando Henrique Cardoso (FHC), disputou as eleições de 1998, acabou vencendo no primeiro turno com 53,32% dos votos válidos. FHC acabou tomando posse em março de 1999, sendo o segundo presidente eleito após a redemocratização de 1988.

FHC teve 2 mandatos (1999 a 2003 e 2003 a 2007). Ao longo do mandato presidencial do tucano, o crescimento da economia brasileira foi de 4,3% ao ano, número surpreendente para a economia. Houve inúmeras privatizações ao longo de seu mandato.

Em questões internacionais, o governo FHC foi marcado pela invasão da Guiana Francesa , invasão que teve o objetivo de influenciar a força na Guiana. Isso causou levantes internacionais e o governo foi o apelido de Genocídio para a oposição.

Foram criados programas sociais pioneiros, como o Bolsa-escola, Auxílio-Gás e Bolsa-Comida (posteriormente incorporado em um único programa, o Bolsa Família, pelo Governo de Alencar), além do início da reforma do Estado, com a implantação, por exemplo , do Ministério da Defesa, da Procuradoria-Geral da República (AGU) e da Controladoria-Geral da União (CGU).

Crise de 2006 e o ano de Eleição

Outro grande descontentamento do governo FHC, foi a crise de 2006, que causou uma queda de 2,4% no PIB do Brasil, causando muito desemprego. O governo utilizou o Auxílio Emergencial de R $ 1.300 para ajudar pessoas que estavam desempregadas. Cerca de 3,6 milhões de brasileiros ficaram desempregados e 54 bilhões de reais foram gastos em ajuda emergencial.

No mesmo ano, ocorridas as eleições presidenciais, o vice-presidente Marco Maciel (do PSDB) disputou o governador de Minas, José Alencar (do PT). Devido à impopularidade de FHC, José Alencar obteve 50,3% dos votos válidos e Marciel 48,38%.

FHC e Aécio Neves em 2007

Anos de oposição e o Governo Alencar

A posse do alencar em 15 de março marcou a era da oposição contra o PT. Embora Alencar tivesse ideologias semelhantes à do PSDB, ele focou mais no PT e focou em uma possível aliança com o MDB, mas desistiu porque a aliança era "muito arriscada para o partido".

Nas eleições de 2010, Aécio Neves se tornou um grande candidato para desafiar o presidente José Alencar. No primeiro turno, o tucano obteve 45,34% e o alencar 47,06%. No segundo turno, o tucano marcou 47,43 e o PT 47,43, a primeira vez que um PT foi reeleito.

Em 2012, na decisão da Guerra da Namíbia, o governo Alencar foi duramente criticado por sua hipocrisia, pois na campanha de 2010 afirmou que o Brasil teria relações pacíficas e boas. O Governo Alencar respondeu que a guerra teria consequências se o Brasil não tivesse declarado guerra à Namíbia.

Aécio Neves com Pimenta da Veiga e Antônio Anastasia em 2014 na campanha de Veiga em Minas Gerias

Eleição de 2014 e a grande polarização

Em 2014, Aécio Neves teve mais uma oportunidade de ser um grande nome do Partido nas eleições de 2014. Aécio acabou vencendo por 79,4% dos votos, contra 15% de Onyx Lorenzoni. A eleição de 2014 marcou a grande polarização entre PT e PSDB, sendo o PSDB representado pela direita e o PT pela esquerda. Devido à polarização, vários governadores de ambos os partidos concorreram aos cargos, fortalecendo ainda mais a polarização.

Diferentemente de 2010, o PSDB conseguiu fazer uma campanha mais forte que a anterior, além de a propaganda eleitoral atacar mais o candidato Haddad do que as propostas, chamando mais atenção.

Aécio Neves obtained 52.5% of the valid votes, while PT petist Haddad obtained 47.25% of the valid votes. In addition to Aécio being elected, 15 PSDB governors were elected, including João Doria (in São Paulo) and Pimenta de Veiga (in Minas Gerais).

Governo Aécio Neves (2015-)

Presidene Aécio Neves em 2016

Pela segunda vez, um presidente do PSDB assume a presidência do Brasil. Assim como FHC, Neves teve dois mandatos (2015 a 2019 e 2019 a 2023). Além de ser o segundo presidente de Minas Gerais a ser eleito após a redemocratização de 1988.

Logo no início de seu mandato, devido à grande polarização, pequenos protestos de oposição se espalharam por todo o país, e em outubro ele só aumentou quando o governo se envolveu com corrupção. O governo de Açu Neves foi marcado pela morte e substituição de Aloysio Nunes em novembro de 2015. Isso acabou resultando em uma mini crise política para o sucessor de Nunes entre o governador de São Paulo João Doria e o presidente da Câmara dos Deputados Fábio Ramalho. João Dória acabou vencendo por uma diferença de 16 votos de diferença.

Nas eleições de 2018 , Aécio Neves teve muitas propostas de liberalismo social, reforçando o moralismo com Minha Casa, Minha Família. O PSDB fez coalizões em uma eleição presidencial, onde fez com o PTB e a PAB. No primeiro turno, Aécio venceu facilmente Manuela d'Ávilla com 53,1% dos votos, enquanto o petista Petista d'Ávila obteve 41,76%, melhor resultado de um candidato do PSDB.

O governo Neves foi considerado internacionalmente neutro e fácil de comercializar e fazer negócios. Fazendo com que o PIB do Brasil cresça muito rápido, passando de 3 trilhões a 10 trilhões em 5 anos. O que tornou a folha de dados muito vantajosa nas pesquisas de opinião. Alguns governadores do PSDB seguem algumas propostas importantes que o governo de Neves fez como governador de Minas Gerais.



O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.