História alternativa Wiki
Advertisement
Demonstration in Minsk, 1990

Revolução de Tulipa na Zimeia em 1995, considerada como a primeira revolução colorida

As Revoluções Coloridas consiste em um termo usado para se referir a uma série de movimentos populares que derrubaram regimes descritos como anti-ocidentalistas e autoritários para pro-ocidentalistas e teoricamente democráticos. As revoluções coloridas foram caracterizados por manifestações pacíficas em massa, geralmente associadas à mudança de regime político e ao pedido por maior democracia, direitos civis e a anticorrupção.

O termo "revolução colorida" originou-se da cor simbólica usada nos movimentos e nas campanhas dessas revoluções, que muitas vezes adotaram uma cor específica como um símbolo visual. Uma belo exemplo, foi as primeiras revoluções coloridas notáveis entre o final da Guerra Fria ao pós (1995-2003): Revolução de Tulipa na Zimeia (1995), Revolução Verde na Albânia (2000), Revolução Laranja na Indonésia (2002) e a Revolução Rosa na Rússia (2003). Apesar das revoluções coloridas terem ganhado notoriedade anteriormente, no ano de 2009, foram registrados 10 revoluções coloridas, sendo uma boa parte acontecidas nos países arabofônicos, essa série de eventos ficaram marcado como a Primavera Colorida Árabe e marcou o avanço democrático no mundo árabe.

Lista de revoluções coloridas[]

#
Revolução Localização/País Inicio Fim Descrição
Revolução da Tulipa Flag of Belarus Zimeia 7 de setembro de 1995 13 de dezembro de 1995 A Zimeia estava desde o golpe comunista de 1964 sob regime socialista de uma economia planificada. Com a grande fome da URS entre 1994, vários grandes parceiros comerciais da Rússia sofrerem um enorme desabastecimento nos alimentos e até outros produtos foram a esse ramo, sendo a Zimeia um dos mais afetados, com uma queda de 8% em seu PIB entre 1994 a 1995. As primeiras manifestações surgiram em 7 de setembro de 1995, acabaram reprimidas mas rapidamente se recuperaram e cresceram até chegarem a bater de frente com a Spółka-Zbrojna, gerando quase que uma guerra civil que se não fosse pela renúncia de Kowalskiński, o país entraria em um colapso social. No dia da renúncia, manifestantes tomaram o parlamento e destruíram diversos símbolos comunistas, nessas invasões a tulipa amarela se tornou uma representação da libertação popular zimeiano sob o regime comunista. Essa seria descrita pela mídia como, além da primeira revolução anticomunista na Eurásia, também seria a primeira revolução colorida na história registrada.
Revolução Amarela Flag of Mauritania Mauritânia 2 de julho de 1999 10 de junho de 1999 A Mauritânia seria o primeiro país africano a experimentar uma revolução democrática a favor da democracia liberal, onde o impopular regime militar de quase 20 anos estava em seu pior momento devido o aumento estrondoso do preço do petróleo. Os primeiros protestos surgiram na cidade de Atar, onde o governo reprimiu brutalmente e resultou no massacre de Atar, rapidamente exposto no mundo e logo depois no país. Dias após os ocorridos os protestos se iniciaram pelo fim do regime, dessa vez muito mais forte que o de Atar. O general e presidente do país, Abdul-Hastafhk rapidamente transmitiu em um comunicado nacional de sua saída e uma rápida transição democrática, que seria oficialmente terminada em 2000. Desde um decreto de 2006, o dia 10 de junho é considerado feriado nacional.
Revolução Verde Flag of Albania Albânia 6 de fevereiro de 2000 18 de fevereiro de 2000 O recém governo de Luan Krasniqi registraria um robusto crescimento nos casos de corrupção que já estavam presentes no país. Esses casos levaram da Albânia o país mais corruptos da Europa e por conta disso milhares de manifestantes protestaram pedindo por mudanças significativas no sistema e no combate a corrupção. O parlamentar democrata, Lea Dervishi, conhecido pelas suas denúncia contra o governo, liderou essas manifestações e rapidamente sua popularidade disparou, chegando em praticamente todos os setores eleitorais do país. Dervishi pediu por bloqueio das estradas, o que rapidamente pressionou ainda mais o governo já começando a se fragilizar, que convocou novas eleições para agosto. Dervishi se candidatou e com 90%, tornou-se presidente do país, fazendo do primeiro líder de uma revolução colorida a ser presidente da nação.
Revolução Laranja Bandeira do Reino da Indonésia Indonésia 4 de maio de 2002 8 de maio de 2002 A má gestão do governo de Baksukhim sob a crise financeira asiática de 2002 eventualmente resultou na decadência de sua popularidade que estava bastante elevada (69% em 2001). Os protestos se iniciaram intensificamente entre os dias 4 e 6, sendo bastante marcados por bastante agitação social nas ilhas de Java e Bali. Baksukhim rapidamente renunciou por decisão do rei, Deni I. Ao invés de convocar novas eleições, o presidente apenas foi substituído no cargo até as eleições de 2005, vencidas pela oposição progressista considerada como bastante pro-ocidentalista e pro-Akiko.
Revolução Rosa Flag of Russia (1991–1993) Rússia 6 de agosto de 2003 5 de novembro de 2003 Krakuv Molotov lançou após a aprovação do parlamento um polêmico referendo que centralizava bastante seu poder, limitando por uma boa parte os poderes do legislativo e centralizando o poder executivo. O referendo com diversas irregularidades foi aprovado com 55% dos votos e logo após ele diversos parlamentares e manifestante protestaram contra o governo. Parlamentares da oposição acabaram sendo impedidos e dias depois cassados por ''desordem nacional''. Após esse evento, os primeiros protestos contra o governo Molotov se iniciaram, em 5 cidades diferentes. Em moscou os protestos foram brutalmente reprimidos. Pela primeira vez, os manifestantes oposicionistas usaram as redes sociais para espalhar imagens e vídeos das repressões e abusos pelas autoridades. A ''bandeira branca-azul-branca'' foi usada nas redes, representando a oposição russa ao governo e logo depois adotada pelo Movimento Democrático Unido (MDU) .De forma bem rápida e surpreendente, as páginas ganharam muita notoriedade e logo depois foram divulgadas publicamente pelos líderes da oposição. Em agosto, as manifestações se intensificaram de forma muito violenta, contudo Molotov continuava no poder continuava a reprimir as manifestações e o governo russo parecia controlar as coisas.


A partir do mês de outubro, as coisas mudaram de forma tragicamente, quando o líder do MDU, Dimitriv foi preso pela guarda russa por ''incitar a violência no país''. No dia seguinte, as manifestações que pareciam ter fracassado, voltaram a se intensificar de forma muito violenta, chegando até incendiar a Durma e pegar armas contra o governo. O governo tentou reprimir com força mas a situação já era bastante incontrolável e as manifestações já chegavam em todas as 80 maiores cidades do país. Dimitriv seria libertado no dia 2 de novembro, com o apoio das forças armadas leais a oposição e realizou um discurso histórico com 200,000 pessoas assistindo pela Praça vermelha. Com toda pressão já insustentável, em 5 de novembro, Molotov realizou um pronunciamento nacional anunciando sua renúncia, logo depois fugiu de helicóptero para Geórgia.

Dimitriv seria eleito como presidente do país, com seu parceiro parlamentar, Yegor Stoply, sendo eleito primeiro-ministro. A Rússia passaria por um longo processo de redemocratização e ocidentalização durante os 10 anos do governo Dimitriv, chegando a ser membra da União Europeia em 2013. A Revolução Rosa de 2003 é considerada um evento muito marcante para a história do século XXI na Rússia e foi ela que popularizou o termo Revolução Colorida, que viria se espalhar para outros países,

Revolução Branca Flag of Sakha Lacútia 7 de agosto de 2004 11 de setembro de 2004 A Revolução Branca teve como inspiração a revolução rosa de 2003, e nela, manifestantes protestavam contra a aprovação da ilimitação dos mandatos presidenciais e dos abusso de poder do presidente Mikhail Yefimovich, que naquele ponto já era descrito pela população como um autoritário. Yefimovich afirmou que os protestos eram anti-constitucionais e por isso acabou reprimindo. Apesar da repressão, os protestos ainda continuaram com vandalizações. O governo lacutiano só cedeu a pressão quando o a Rússia e Shun tentaram intervir militarmente no país e estabelecer um regime democrático caso se o governo lacutiano não tirasse o presidente. Mikhail Yefimovich acabou por partes aceitando o pedido, porém se manteve no poder até as eleições de 2005 quando não concorreu para o seu segundo mandato. A Revolução Branca apesar de forma direta não ter derrubado o governo, conseguiu chamar a atenção internacional que pressionou o governo, sendo a primeira a fazer uma coisa dessa.
Revolução Abóbora Flag of Kingdom of Sudan Sudão 11 de setembro de 2006 20 de setembro de 2006 O Sudão foi a primeira monarquia a presenciar uma revolução colorida. Bashir havia implementado uma monarquia absolutista centrada a sua imagem e poder, como uma forma leve de culto a personalidade. Apesar de ainda manter como ditadura, ele descentralizou um pouco seu regime ao passar do tempo, quando anunciou a criação de um parlamento em 2000 e o cargo de primeiro-ministro em 2004. Seu reinado antes de 2006 foi marcado pelo prospero crescimento econômico que o país passou graças a dependência do petróleo, que viria entrar em crise de 2006 e a economia sudanesa veio a cair junto. Esses fatores levaram na revolta da população, que saiu das ruas para protestar contra as políticas do governo. A partir do dia 11 de setembro, acontece as manifestações, ao contrário de muitos governos autoritários, Bashir acabou por não reprimir. Com o rápido crescimento, o monarca acabou por abrir um processo de transição democrática no país com a criação de uma Assembleia Constituinte. O país só viria se tornar uma monarquia parlamentarista democrática em 2008.
Revolução Roxa Flag of Siam (1855) Sião 14 de junho de 2009 18 de junho de 2009
Revolução da Grama Flag of the greater egyptian sultanate by mobiyuz Egito 20 de setembro de 2009 30 de outubro de 2009
Revolução Marrom Alternate Saudi Arabia Flag Arábia Saudita 3 de outubro de 2009 11 de novembro de 2009
Revolução de Lótua Bandeira da Argelia (Universo 26) Argélia 7 de outubro de 2009 20 de novembro de 2009
Revolução Verde Flag of Iraq (1991–2004) Iraque 10 de outubro de 2009 12 de outubro de 2009
Revolução do Vinho An Alternate Morocco Flag Marrocos 12 de outubro de 2009 22 de outubro de 2009
Revolução Marrom Flag of Yemen Iêmen 12 de outubro de 2009 11 de novembro de 2009
Revolução Amarela Flag of Palestine Palestina 14 de outubro de 2009 3 de novembro de 2009
Revolução Denim Flag of Kenya Quênia 8 de dezembro de 2012 10 de janeiro de 2013
Revolução Jasmin Flag of Mozambique (1974–1975) Moçambique 22 de janeiro de 2014 1 de março de 2014 A prisão do político oposicionista da ULM, Raimundo Gonçalves foi o gatilho para o início de uma revolta geral em todo país. A população já estava indignada com os vários escândalos do governo esquerdista da PPM e com a prisão do político resultou na revolta. Os manifestantes inicialmente incendiaram carros, casas e até mesmo o Palácio do governador de Santa Catarina. O governo moçambicano tentou com repressão pesada, além da implementação da Lei marcial no país, mas a situação só piorou e com as alegações de insurreição de grupos jihads no norte do país, o governo decidiu renovar o parlamento e convocar novas eleições. Pela primeira vez em 22 anos, um partido que não fosse o PP obteve uma maioria absoluta no Congresso Nacional
Revolução Turquesa Naval Jack of Cuba Cuba 5 de outubro de 2016 17 de janeiro de 2017 A desastrosa gestão e isolacionista de Batista que foram estabelecidas desde meados de 2014, resultaram na quebra do déficit fiscal de Cuba já bastante fragilizada. Batista tentou usar a forte incentivo da imprimação do dinheiro, que só piorou a crise e acelerou a inflação que (em 2015) crescia 100% a cada 20 dias. O governo ignorava totalmente o agravamento da inflação e continuou a imprimir o dinheiro o mais rápido possível, gerando numa inflação de 63,000,000% em março de 2016. Com essa crescimento abismal, novos protestos surgiram no país, o mais forte iniciado em 5 de outubro de 2016, conhecido como ''La Marcha Turquesa'', que ficaria bastante popular nos próximos meses.


A Marcha Turquesa se fortaleceu muito graças a participação e ingressão de Carlos Agramonte no final de novembro. Agramonte viria ser preso e três dias depois solto pela população em 14 dezembro de 2016 com a violenta invasão policial pro-oposição na prisão. A partir de janeiro, os manifestantes viriam a ser mais violentos, fazendo da Praça da Independência como um campo de batalha entre os cidadãos e forças armadas cubana. Em 4 de janeiro, manifestantes conseguiram invadir violentamente com tanques o parlamento cubano e logo. Batista percebendo da gravíssima situação do país, decidiu fugir de helicóptero para o Panamá. Um novo governo de transição foi estabelecido em 20 de janeiro pelas forças armadas e Agramonte foi eleito democraticamente com 79% no primeiro turno como o presidente do país, no qual está até hoje.

Revolução de Veludo Flag of Armenia Armênia 30 de março de 2018 9 de abril de 2018 Com a vitória de Aram Sarkisian nas eleições daquele ano, uma onde protestos surgiram após diversas ongs internacionais e até mesmo a União Europeia alegarem fortes irregularidades na votação. Os protestos apesarem de ter sido levemente reprimido pelas forças de segurança da Armênia, no geral foi até que pacífico e o presidente reeleito anunciou novas eleições para o ano que vem, bem como também não decidiu concorrer ao cargo depois dos próximos resultados eleitorais.
Advertisement